Agência Brasil

Ciclistas pedalam em direção ao Congresso

BRASÍLIA – Com o objetivo de conscientizar a sociedade da importância da preservação do meio ambiente, o 8º Passeio Ciclístico e a 1ª Caminhada por Um Brasil Sustentável reuniram hoje mais de mil pessoas em frente ao Congresso Nacional.

O evento, organizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pela organização não governamental Rodas da Paz, faz parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente.
De acordo com a secretária de Articulação Institucional do MMA, Samira Crespo, as atividades vão ajudar a população a se engajar nas principais decisões do governo. “A gente quer mostrar para a sociedade quais são os principais assuntos que estão sendo decididos sobre meio ambiente, porque é ela quem vai ter de cumprir o que for decidido.”

Para o coordenador da Conferência Nacional do Meio Ambiente do MMA, Geraldo Abreu, o evento educa e faz com que as pessoas incorporem ações sustentáveis, como o uso de sacolas renováveis e a economia de água e energia, ao cotidiano. “A expectativa é que as pessoas comecem a ganhar, com essas atividades, um nível de consciência maior para que atitudes diferentes sejam tomadas.”

A ONG Rodas da Paz aproveitou o momento para alertar a população sobre a importância do uso da bicicleta como meio de transporte. Para o presidente da organização, Ronaldo Alves, o evento também é um forma de cobrar uma estrutura cicloviária que dê segurança aos ciclistas.

“É um evento bacana, porque a comunidade já sabe que ele existe e comparece. Estão todos juntos pelo meio ambiente. A mobilidade urbana sustentável é importantíssima para a questão ambiental. Se você consegue implementar uma proposta alternativa como a bicicleta, você diminui bastante a quantidade de carro, reduz o estresse, a emissão de gases”, disse.

A mobilização também foi palco de protestos relacionados à greve dos servidores do meio ambiente e à alteração do Código Florestal.

Para funcionária pública Maria Cecília Wey de Brito, que participou do passeio ciclístico pela primeira vez, o evento pode ajudar a conscientizar o governo e a sociedade da importância do código que protege as florestas brasileiras. “Um ato desses pode mobilizar a sociedade, o Congresso Nacional e o presidente da República para a não alteração do Código Florestal e para que outras unidades de conservação que estão prontas possam ser criadas”, afirmou.