Esqueça a sua Caloi. A brincadeira aqui é para adultos: bicicletas feitas por fabricantes de automóveis com alta tecnologia – e preço às vezes superior ao de um carro popular.

O exemplo mais recente vem da Lexus. Com dois discretos motores elétricos de 240 watts (tração integral, vale dizer), a bicicleta modernosa permite que você deixe a tecnologia pedalar por você na hora do aperto, sem emitir nenhuma poluição. 

Já faz algum tempo que a BMW e a Ferrari também investem neste segmento – ainda que elas prefiram que as coisas sejam do velho e bom modo: na base da pedalada. A Ferrari CX 50 é uma mountain bike feita de fibra de carbono e alumínio, com suspensão dianteira e freios a disco nas duas rodas. Preço: cerca de 2 mil euros.   

Já a Ferrari Di2 é uma verdadeira máquina de velocidade. Por 12.500 euros, ela promete ser uma bike de competição perfeita, repleta de tecnologias como a estrutura 3PRS de fibra de carbono, desenvolvida na aeronáutica, e que fortalece o quadro sem prejudicar no peso – apenas 6 kg no total. As rodas também são de fibra de carbono, e os sistemas de câmbio possuem elementos eletrônicos para eliminar qualquer mínima falha nos engates. Fernando Alonso, um fanático por ciclismo, parece que gostou.

Na linha de bikes da BMW, a letra M funciona exatamente como nos carros: ela indica versões especiais, mais esportivas e exclusivas. A M Bike é uma série limitada a ser lançada em junho. Possui tecnologia de construção, suspensão e câmbio no estado da arte, freios a disco e um design matador, com direito ao logo Motorsport no quadro.