Empresa Vivos pretende vender a quatro mil pessoas abrigos subterrâneos para salvar parte da população: empresa ainda se responsailiza por assistência médica e alimentação

SÃO PAULO – “Eventualmente, nosso planeta passará por outra catástrofe devastadora, seja causada pelo homem ou por forças da natureza. Desastres são raros e inesperados, mas, em qualquer grande intervalo de tempo, são inevitáveis. É hora de se preparar”.

É com essas palavras que a empresa Vivos pretende vender a quatro mil pessoas a chance de sobreviver ao fim do mundo.

Com sede na Califórnia, a companhia vai construir 20 abrigos subterrâneos próximos às principais cidades dos Estados Unidos, cada um com capacidade para até 200 pessoas e uma área de 1800 m2. As vagas já estão sendo vendidas a US$50 mil e, até agora, cerca de mil compradores foram aceitos para ocupar os locais.

A empresa se responsabiliza por fornecer segurança, assistência médica, odontológica, entretenimentos e, claro, alimentação pelo período de um ano após o fechamento das unidades. A dieta “gourmet” de 2.500 calorias diárias incluiria itens básicos (grãos, vegetais, carnes) e caros, como amoras e vinhos.

De acordo com a Vivos, os abrigos também serão depósitos de DNA. A empresa convida universidades a enviarem amostras de todos os seres vivos da Terra, junto com sementes, que serão guardadas em cofres refrigerados. 

Uma vez que um número suficiente de interessados tenha se manifestado, e os candidatos tenham sido selecionados pela Vivos, a construção dos abrigos terá início. Os locais devem estar prontos antes de 21 de dezembro de 2012 – e a data não é uma mera coincidência.

Apesar de se declarar uma organização sem ligações religiosas de nenhum tipo, a Vivos tem em seu site uma clara mensagem apocalíptica, influenciada principalmente pelas teorias do fim do mundo ligadas ao término do Calendário Maia (em 2012). Há, inclusive, um relógio em contagem regressiva para a data e trechos de um documentário sobre a teoria apocalíptica.  

Além disso, os abrigos projetados por ela são vendidos como locais resistentes a ataques nucleares, bio terrorismo, guerras químicas, vulcões, asteróides, terremotos, mudanças polares, o retorno do Planeta X e anarquia política e social.

A Vivos também faz um alerta para uma possível teoria da conspiração, que envolveria políticos de todo o planeta: “os governantes do mundo estiveram ocupados construindo grandes abrigos subterrâneos para a elite. O que eles sabem? O resto de nós está por conta própria, sem uma solução de sobrevivência alongo prazo”.