A cada trimestre, a Akamai libera um relatório sobre o uso da Internet no mundo, o State of the Internet. Dia desses saiu a última edição do relatório, baseada no terceiro trimestre de 2009, trazendo muita coisa interessante, inclusive sobre o Brasil.

No quesito segurança, Brasil e Rússia destronaram China e EUA, até então os mais populares países de origem de ataques via Internet, numa sequência que já durava quatro trimestres, ou um ano. Brasil e Rússia assumiram a liderança, principalmente graças ao Conficker (variantes A e B), que fez a festa por aqui e na terra da vodka, o que se explica, também, pela altíssima incidência de  ataques através da porta 445, usada pelo Conficker.

Na parte de uso, o Brasil aparece bem. Na categoria de endereços IP únicos vistos pela Akamai, nosso país ficou em 9º lugar, apresentou o maior crescimento em relação ao trimestre anterior (7,3%) e o segundo maior em relação ao ano anterior (23%). Nesse último quesito, só perdeu para a China e seus 30% de crescimento.

A seguir, o relatório entra numa parte delicada para nós: velocidade das conexões à Internet. O Brasil não figura no top 10 dos países com conexões mais rápidas (ORLY?), e, curiosamente, nem os Estados Unidos estão incluídos nesse grupo. Em 18º lugar, não bastasse tal posição, os americanos ainda viram a velocidade média de suas conexões diminuir em relação ao ano passado, em 2,4%. Lá, a velocidade média das conexões é de 3,9 mbps.

[Eu queria morar na Coreia do Sul]

Pode-se ver dados relacionados ao Brasil nas divisões por cidades do mundo inteiro. Dali, por exemplo, dá para ver que Curitiba é a cidade mais “rápida” do país, com média de 1,9 mbps, seguida de Florianópolis (1,7 mbps) e Campinas (1,6 mbps). Na quantidade de conexões acima dos 5 mbps, as duas primeiras posições invertem-se (Florianópolis tem 5,1%, e Curitiba, 4,5%), e Campinas segue em terceiro lugar (3,4%). Porém, quando o nível baixa, no ranking das cidades com mais conexões acima dos 2 mbps, Curitiba volta ao topo, com 35%, seguida de Belo Horizonte (26%) e Porto Alegre (20%).

No Brasil, segundo informa a conclusão do relatório, a velocidade média das conexões à Internet é de 1085 kbps, pouca coisa mais que 1 mbps. Na América Latina, somos a terceira nação no ranking de velocidade, atrás de Chile (2216 kbps) e Colômbia (1448 kbps). No mundo, a Coreia do Sul possui a maior velocidade média, de 14,6 mbps, seguida de Japão (7,9 mbps) e Hong Kong (7,6 mbps).

O relatório da Akamai é bastante detalhado, e está disponível gratuitamente aqui. O único requisito para acessá-lo é registrar-se no site (registro também gratuito).