Sempre que passava na ciclovia de Santos me deparava com esta cena mega bizarra: O padre José de Anchieta empunhando uma cruz, um índio prostrado ao seus pés e um grande felino também nestas condições.
 
Esta cena fica no início da ciclovia, na praça onde se localiza o Aquario de Santos. Ela sempre me chamou atenção pelo potencial mau gosto que contém. A mim, a impressão que passa é: índio, ou você se converte, ou este animal te fará em pedaços…
 
Assim fica fácil…Mas e hoje, mudou alguma coisa? Com todos os apelos emocionais vigentes, com a dita “teologia da prosperidade”, onde quanto mais eu der para “deus”, mais eu recebo em troca…
 
Onde fica o Cristo em tudo isto?
 
“Ou tu me decifras, ou eu te devoro”….